segunda-feira, 30 de Maio de 2011

Os jovens portugueses e o tabaco

Qual é o perfil dos adolescentes portugueses que experimentam ou consomem regularmente tabaco, de acordo com um estudo realizado pelo projecto Aventura Social e Saúde, Faculdade de Motricidade Humana, Universidade Técnica de Lisboa?

Realizámos um estudo junto de 6903 jovens do 6º, 8º e 10º anos de todo o país, utilizando um questionário. De acordo com estes nossos dados os rapazes e os mais velhos não só mais frequentemente já experimentaram tabaco, como são mais frequentemente consumidores regulares.

Os resultados sugerem que, no geral,  os jovens que já experimentaram, bem como os consumidores regulares de tabaco apresentam um perfil de afastamento em relação à família, à escola e ao convívio com  os colegas em meio escolar.
Apresentam também com mais frequência envolvimento com experimentação e consumo de álcool  e outras drogas ilícitas e envolvimento em lutas e situações de violência na escola.
Os jovens que experimentaram tabaco, bem como os consumidores regulares, referem mais frequentemente ver televisão quatro ou mais horas por dia.
Os jovens que referem já ter experimentado fumar tabaco praticam em geral mais actividade física mas, no que diz respeito ao consumo regular, a situação inverte-se e são os jovens que não fumam os que mais frequentemente  praticam actividade física.
Os jovens que já experimentaram tabaco bem como os consumidores regulares afirmam-se menos felizes e referem com maior frequência sintomas de mal estar físico e psicológico, referem em geral uma alimentação menos saudável e um maior desagrado com a imagem do seu corpo, com uma maior referência a comportamentos de dieta.
De salientar que tanto os jovens que já experientaram como os consumidores regulares apresentam um perfil de afastamento em relação aos colegas em ambiente escolar mas um maior convívio com os amigos fora das horas da escola. De referir ainda que os alunos que não fumam são os que mais frequentemente referem não ser aceites como são, por parte dos colegas.
A experimentação e consumo regular de tabaco aparecem-nos assim relacionados  com um conjunto de factores pessoais de vulnerabilidade, aparecendo frequentemente associados a  outros comportamentos ligados ao risco para a saúde. A experimentação e o consumo regular de tabaco aparecem ainda relacionados com outros factores interpessoais, factores estes que incluem os cenários privilegiados da sua vida social: família e escola.

(Para visualizar o restante estudo:
 http://aventurasocial.com/2005/conteudos/publicacoes/tabaco.pdf)

Sem comentários: